Allfabetização

Este postal é - creio - uma fotografia retirada dum dos dois filmes que há dias vi sobre as campanhas de alfabetização, as tais em que eu gostaria de ter participado em Agosto último se ... Esta cena do filme era comovente: uma mulher que até aí não sabia comunicar por escrito, conseguir fazê-lo. A procura das sílabas, o gesto hesitante, o voltar atrás para corrigir ou desenhar melhor a letra !!! Deve ser bestial um tipo descobrir que sabe ler, não achas? (1974)

Escrevivendo e Photoandando

No verão de 1996 resolvi não ir de férias. Não tinha companhia nem dinheiro e não me apetecia ir para o Mindelo. "Fechado" em Setúbal, resolvi escrever um livro de viagens a partir dos meus postais ilustrados que reavera, escritos sobretudo para casa em Luanda ou para a mãe do Rui e da Susana. Finda esta tarefa, o tempo ainda disponível levou me a ler as cartas que reavera [à família] ou estavam em computador e rascunhos ou "abandonos" de outras para recolher mais material, quer para o livro de viagens, quer para outros, com diferente temática.

.

Depois, qual trabalho de Sísifo ou pena de Prometeu, a tarefa foi-se desenvolvendo, pois havia terras onde estivera e que não figuravam na minha produção epistolar. Vai daí, passei a pente fino as minhas fotografias e vários recorte, folhetos e livros de "viagens", para relembrar e assim escrever novas notas. Deste modo o meu "livro" foi crescendo, página sobre página. Pelas minhas fotografias descobri terras onde estivera e juraria a pés juntos que não, mas doutras apenas o nome figura na minha memória; o nome e nada mais. Disso dou por vezes conta nas linhas seguintes.

.

Mas não tendo sido os deuses do Olimpo a impor me este trabalho, é chegada a hora de lhe por termo. Doutras viagens darão conta edições refundidas ou novos livros, se para tal houver tempo e paciência.

VN

quinta-feira, 23 de março de 2017

Marchas Populares em Luanda




* Victor Nogueira


RAÍZES
"Maianga Maianga
Bairro antigo e popular
Da velha Luanda
Com palmeiras ao luar ..."

''A Praia do Bispo
Cheiinha de graça
De manha á noite
sorri a quem passa ..."


(das Marchas Populares em Luanda)
Longo era o bairro ao longo da marginal
Longo era o bairro do morro de S. Miguel ao morro da Samba (...)



Octávio Guedes Coelho Maianga, Maianga/Bairro antigo e popular/Da velha Luanda/Com palmeiras ao luar/Ao som desta marcha/Vibra a tradição/Numa fogueira/E na luz do meu balão... Maianga a cantar com as raparigas/E mais os rapazes em lindas cantigas/Ó meu Santo António, Ó São Pedro, Ó São João/Aqui vai Maianga bem juntinho ao coração... Maianga já é velhinha/Mas tem alma sempre nova/E nos Santos Populares/Tem o sabor duma trova/Sobem foguetes para o ar/ Na noite de Santo António/E toda a gente diz Maianga/Toda a gente diz Maianga/Ao ver a Marcha passar....

Octávio Guedes Coelho A Praia do Bispo/Cheiinha de graça/De manhã à noite/ Sorri a quem passa/É sua beleza/O azul dos céus/É das obras belas/ Criadas por Deus....

Octávio Guedes Coelho A Ilha aqui vem/Mostrar que é alguém/Alegre sempre contente/É seu namorado/ O mar azulado/É boa para toda a gente...

Octávio Guedes Coelho São Paulo canta/ Aos corações/Ao Criador/ E às Missões/São Paulo canta/Bairro ideal/ Pousada em terras/ De Portugal...

Octávio Guedes Coelho São bocados de que me lembro, e para me lembrar tenho de os cantarolar. Entrei na marcha da Maianga, morando em S. Paulo. Eram os namoricos que nos faziam saltar de ensaio para ensaio e de namorada para namorada. Abraço, Amigo Victor.

***





Maianga, Maianga - Bairro Antigo E Popular...


"MAIANGA, MAIANGA - BAIRRO ANTIGO E POPULAR"...




Assim começava o refrão duma MARCHA POPULAR DE LUANDA. Por altura das Festas da Cidade, Agosto, as Marchas Populares de Luanda eram o "ex-libris" dos festejos. Bairros como a Maianga, Vila Alice, Vila Clotilde, Ingombotas, Praia do Bispo, etc, com os seus arcos engalanados, raparigas e rapazes, cantando e dançando, faziam as delícias dos Luandenses e não só. Quer na Marginal, quem no Estádio dos Coqueiros, os luandenses vibravam com os representantes dos seus bairros.



O BAIRRO DA MAIANGA, vencedor duas vezes das marchas populares, sempre foi o meu Bairro. Fui para lá em 1946 e só mudei, quando casado fui viver para o Prenda.

Aqui, no MAZUNGUE, também há MAIANGUISTAS, se não há muitos, a partir de amanhã, dia do 27º ALMOÇO-CONVÍVIO DOS MAIANGUISTAS em Ansião, irei "angariar" amigas e amigos, que ainda não frequentam a Net. Vamos ver quantos vão responder à chamada?


Não tenho dúvidas, que este Bairro, tão conhecido em Luanda, vai chamar aqui muita gente, para dar os seus "bitaites" sobre tempos antigos.
Eu posso aqui já dar uma "dica" antiga: "eu sou do tempo (pareço as avózinhas do arroz de 15) em que, um rapaz de outro bairro que andasse com com "catraia" da Maianga, não a levava à porta de casa. Despedia-se dela, ali junto à Bracarense... Se era apanhado lá dentro do Bairro, com a moça, havia problemas...



VÁ MAIANGUISTAS, VAMOS LÁ A SALTAR PARA AQUI E A DELICIAREM-NOS COM A VOSSA VIVÊNCIA, NAQUELE BAIRRO MÍTICO.

http://mazungue.com/forum/index.php?thread/1578-maianga-maianga-bairro-antigo-e-popular/&pageNo=34 
***

Em Luanda - Avenida Marginal da Praia do Bispo, nº 40 / 42



Foto de familia - Luanda - Avenida Marginal da Praia do Bispo, nº 40 / 42 - Conjuntamente com o do Cruzeiro, este era um dos bairros residenciais do Estado para funcionários públicos. Defronte ficavam a Baía e a Ilha do Cabo e para lá destas o Oceano Atlântico e o Brasil.


RAÍZES

...."Maianga Maianga
.............Bairro antigo e popular
.............Da velha Luanda
.............Com palmeiras ao luar ..."

.............''A Praia do Bispo
.............Cheiinha de graça
.............De manha á noite
.............Sorri a quem passa ..."

............(das Marchas Populares em Luanda)

Longo era o bairro ao longo da marginal
Longo era o bairro do morro de S. Miguel ao morro da Samba
Grande era o bairro e grandes as casas
No meio o bairro operário e a igreja de S.Joaquim,
estreitas as ruas, pequenas as casas.

Nas traseiras, o morro, [ou barrocas]
no alto o Palácio,
Na frente a larga avenida,
o paredão, as palmeiras e os coqueiros
a praia que já não era do Bispo
mas das pedras, dos limos e dos detritos.

Mais além a ilha que era península
com a sanzala dos pescadores
casas de colmo no areal
da extensa e boa praia
o mar sem fim.

Em Luanda nasci
Em Luanda vivi
Em Luanda estudei

Não Angola mas Portugal
Todos os rios e afluentes
Todas as linhas férreas e apeadeiros
Todas as cidades e vilas
Todos os reis e algumas batalhas
as plantas e animais
que não eram do meu país.

De Angola
pouco sabíamos
até ao 4 de Fevereiro, até ao 15 de Março
Veio a guerra e
....................a mentira
que alimenta
..................a Guerra,
Veio a guerra e a violência
veio a guerra e a liberdade.

Em Évora a 11 de Novembro
Em Luanda a bandeira do meu país
no mastro subiu.
Era o tempo da liberdade e da esperança.

No Porto
Em Lisboa
Em Évora estudei
Em Évora casei
Em Évora vivi e nasceram o Rui e a Susana.

Em Setúbal moro e no Barreiro trabalho

Perdidos os amigos,
perdida a infância
Estrangeiro ......sem raízes ......sou em Portugal.

Victor Nogueira
1989
 — com Maria Célia Correia CoelhoFilipa CaladoCarlos Barradas e 36 outras pessoas.
25 comentários
Comentários
Fatima Mourão Obrigado pela partilha !!!!

Octávio Guedes Coelho Maianga, Maianga/Bairro antigo e popular/Da velha Luanda/Com palmeiras ao luar/Ao som desta marcha/Vibra a tradição/Numa fogueira/E na luz do meu balão... Maianga a cantar com as raparigas/E mais os rapazes em lindas cantigas/Ó meu Santo António, Ó São Pedro, Ó São João/Aqui vai Maianga bem juntinho ao coração... Maianga já é velhinha/Mas tem alma sempre nova/E nos Santos Populares/Tem o sabor duma trova/Sobem foguetes para o ar/ Na noite de Santo António/E toda a gente diz Maianga/Toda a gente diz Maianga/Ao ver a Marcha passar....

Octávio Guedes Coelho A Praia do Bispo/Cheiinha de graça/De manhã à noite/ Sorri a quem passa/É sua beleza/O azul dos céus/É das obras belas/ Criadas por Deus....

Octávio Guedes Coelho A Ilha aqui vem/Mostrar que é alguém/Alegre sempre contente/É seu namorado/ O mar azulado/É boa para toda a gente...

Octávio Guedes Coelho São Paulo canta/ Aos corações/Ao Criador/ E às Missões/São Paulo canta/Bairro ideal/ Pousada em terras/ De Portugal...

Victor Barroso Nogueira Grato, Octávio Guedes Coelho São os poemas completos ? E o da Praia do Bispo ? Abraço 

Tereza Fardilha Victor, é a vossa casa?, então a minha é a lado esquerdo.... saudades...que bom reviver!!!

Elisa Fardilha Morava na casa 1. Adorei rever a Praia do Bispo.

Renata Birrento Olá Elisa Fardilha!Sou a irmã do Kim Joaquim Birrento.Bjinhs

Elisa Fardilha Beijinhos Renata.

Carlos Barradas Lembro me bem dessa casa!!!

Graca Maria Antunes Uma casa muito digna, amigo Victor.

Viriato F. Soares Olá Victor,gostei obrigado pela partilha das tuas memórias/poema!

Victor Barroso Nogueira Sim, Tereza Fardilha Vocês moravam à esquerda, vendo-se o v/ portão e a garagem. À direita moravam os Sequeira. Na vivenda de que se vê a fachada lateral moravam a Renata Birrento e família e a seguir os Andrade Ferreira  A v/ casa aparece numa outra foto. Talvez faça um post com fotos da Praia do Bispo.

Octávio Guedes Coelho São bocados de que me lembro, e para me lembrar tenho de os cantarolar. Entrei na marcha da Maianga, morando em S. Paulo. Eram os namoricos que nos faziam saltar de ensaio para ensaio e de namorada para namorada. Abraço, Amigo Victor.

Maria Lisete Almeida Obrigada pela partilha Amigo Victor Nogueira! A infância deixa-nos sempre saudades, acompanhadas de uma nostalgia enorme. ..

Lu Napoly Eu vivi na Maianga..saudades imensas do meu tempo de juventude ai..

Milu Vizinho Camarada Victor obrigado pela a partilha! A infância deixam-nos saudades,. Recordar é viver...Um forte abraço do tamanho do mundo 

Arminda Griff Quando lá voltares,levas-me??? 

Victor Barroso Nogueira Pois, manarminda, aka Arminda Griff Como assim se não gostas de andar em transportes públicos e eu não tenho nem avião nem iate parrticulares ? LOL e 

Judite Faquinha Linda foto... e linda vivenda Victor, dá para matares saudades. Bejitos amigo